Vera Cruz - RS, quarta-feira, 26 de junho de 2019
Publicado 08/08/2017 » Polícia
Indivíduo pesca, mas não leva nada
Fonte: Jornal Arauto

“Vim achando que minha loja tinha sido carregada toda, mas graças a Deus não era o que tinha acontecido”, declara a empresária Juliana Hickmann,  após ter sua loja Morenah Flor alvo de furto durante a madrugada do domingo, dia 6. A ação do indivíduo, que chegou a “pescar” algumas peças,  foi frustrada porque o vizinho de loja e também amigo de Juliana, Lucas Dummer, ouviu barulhos, chamando imediatamente pelo whatsApp a Brigada Militar de Vera Cruz, que conseguiu flagrar o crime.

Juliana, que tem a loja há cerca de quatro anos, conta que até então nunca tinha sofrido com qualquer tipo de delito. “Digo até que sou abençoada, pois até então ainda não havia acontecido e com toda essa onda de assaltos e insegurança, tive sorte”, reforça. Para a empresária foi um susto receber a notícia do ocorrido. “Eu gritei muito e achei que tivessem levado tudo”, comenta. 

Se não fosse a percepção do vizinho e amigo aliada à agilidade da polícia, a vera-cruzense poderia ter tido um prejuízo de pelo menos R$ 1.855, com as peças pescadas pelo meliante que, segundo a BM, tem diversas passagens pela polícia, incluindo furtos.

AGILIDADE DA BM
O fato ocorreu por volta das 2h30min da madrugada de domingo. O barbeiro Lucas Dummer, que foi quem contatou a BM, relata que ouviu barulhos e achou que fosse vento e que um temporal se aproximava. Ao ir até a porta da frente verificar, viu que não se tratava de ventania. Foi então que suspeitou que a loja de Juliana estivesse sendo alvo de criminosos. “Ouvia barulho de ferro. Cheguei a achar que estivessem dentro da loja”, lembra. 

Para não alarmar os criminosos - acreditando ser mais de um envolvido - Dummer ao invés de ligar para a polícia, avisou-a pelo número do WhatsApp. “Eles foram muito rápidos. Chegaram em um minuto”, recorda. Apesar do receio do meliante conseguir ir embora antes mesmo da BM chegar, Lucas Dummer não saiu para a rua. “Ele pegou cerca de nove peças de roupas e se não fosse a rapidez da Brigada, teria feito uma limpa na loja”, acredita o barbeiro.

Mesmo que nenhum dos estabelecimentos tenha sido alvo de assalto ou furto antes, os empresários ficam receosos e com medo, principalmente em virtude de haver uma agência bancária em frente ao local.  “Mesmo que não tenha tido nenhum dano na loja bate um pavor, pois nunca se sabe o que são capazes de fazer”, reflete Juliana.

Confira a matéria completa na edição impressa desta terça-feira, do Nosso Jornal.

Meliante pescou roupas com um arame por baixo da porta (Foto: Jornal Arauto)






JORNAL ARAUTO
(51) 3718-3400
Rua Jacob Blész, 38 - Vera Cruz - RS
Caixa Postal 58 - CEP: 96880-000
Copyright © 2010 - www.jornalarauto.com.br






by Sizing - Soluções para Internet