Vera Cruz - RS, terça-feira, 23 de julho de 2019
Publicado terça-feira, 14 de maio de 2019 08:16 »
Dia para combater o abuso
Fonte: Jornal Arauto

O 18 de maio marca o Dia Nacional de Enfrentamento ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, mas a luta pela preservação dos direitos sexuais deve ser realizada todos os dias. Apesar de em muitas vezes a denúncia não ser feita, os números de casos acompanhados e de atendimentos realizados pelos Conselhos Tutelares dos municípios de Vera Cruz, Santa Cruz e Vale do Sol, preocupam.  

Em 2017, Vera Cruz recebeu a denúncia de 12 supostos casos. Já em 2018 esse número foi maior, chegando a 15. O órgão acredita que apesar de haver aumento das denúncias, este dado fica aquém do número real de abusos ocorridos, os quais muitas vezes não são denunciados. 

O Conselho Tutelar de Vale do Sol também demonstra preocupação quanto ao medo que existe em realizar a denúncia e afirma que, na maioria das vezes, isso se dá porque a vítima teme sofrer represálias. Apesar de apresentar diminuição nos números de casos denunciados, o levantamento é muito expressivo, sendo que 25 casos foram denunciados no ano de 2017 e, em 2018, 23. 

Em Santa Cruz, o órgão registrou em média quatro suspeitas de abuso sexual infantil por mês, nos anos de 2017 e 2018.  O presidente do Conselho Tutelar, Roberto Schaefer, lembra que mesmo sendo um caso de suspeita, a orientação é realizar o Boletim de Ocorrência (BO), para que a partir desse passo, seja investigado. “Quando uma mãe nos procura para dizer que seu filho sofreu abuso sexual pedimos que ela tome esta medida e damos um prazo para que o faça. Caso ela não denuncie, ela estará aceitando o ato e, por isso, registraremos dois boletins de ocorrência, um da suspeita do caso e outro que se aplica à negligência da mãe”, explica. 

FORMAS DE ABUSO

Certas vezes, há dificuldade por parte da vítima em compreender que está sofrendo violência sexual, pois ela não consegue caracterizar determinados comportamentos como abuso. O abuso sexual pode acontecer de várias maneiras, conforme explica a psicóloga do CREAS de Vera Cruz, Juliana da Rosa, “quando a criança se sentir intimidada pelo jeito que o adulto olha para ela ou até quando alguém coloca cenas pornográficas para assistir na presença da criança”. Além disso, a forma como o outro toca ou demonstra afeto pela criança ou pelo adolescente pode ser considerado abuso. “90% dos casos de abuso infantil acontecem dentro de casa e certas vezes, a vítima demora a entender que o ato se constituiu em abuso, como por exemplo, quando o pai ao dar banho, acaricia suas partes íntimas ou quando ele a abraça por trás e se esfrega nela”, explica Schaefer.

ATIVIDADES PARA MARCAR A DATA

Vera Cruz: palestra “Atendimento às crianças e adolescentes vítimas de violência sexual”, no dia 14 de maio, a partir das 13 horas, no Clube Vera Cruz;
Santa Cruz: entre os dias 20 e 30 de maio, encontros nos CRAS Integrar e Beatriz sobre o combate ao abuso e à exploração sexual de crianças e adolescentes;
Vale do Sol: palestra para trabalhar a conscientização e a prevenção, no dia 17, a partir das 13h05min, na Câmara de Vereadores.  

Confira na edição impressa, as formas de prevenir e identificar casos de abuso sexual de crianças e adolescentes.

90% dos casos de abuso sexual acontecem dentro da família (Foto: Jornal Arauto)


Comentários
Sem comentários publicados
Deixe seu comentário




+ Notícias relacionadas
 




JORNAL ARAUTO
(51) 3718-3400
Rua Jacob Blész, 38 - Vera Cruz - RS
Caixa Postal 58 - CEP: 96880-000
Copyright © 2010 - www.jornalarauto.com.br






by Sizing - Soluções para Internet